Câmara escarra na cara do cidadão brasileiro, diz Van Hattem

-

- PUBLICIDADE -

O deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS) teceu duras críticas, nesta quinta-feira (15), à aprovação de um montante de quase R$ 6 bilhões para o fundo eleitoral em 2022.

Van Hattem disse que a decisão da Câmara é uma zombaria com a “cara do cidadão brasileiro”:

“Esta Casa Legislativa, se aprovar uma LDO com quase R$ 6 bilhões, para campanha politica, estará escarrando na cara do cidadão brasileiro, que paga imposto na gasolina, paga o custo da inflação nas gôndolas de supermercado e paga a incompetência crônica deste país com mais dinheiro para campanha de políticos.”

O parlamentar acrescentou que a questão não foi discutida amplamente e foi incluída no projeto sob a justificativa de “aperfeiçoar” o fundo.

Na tarde de hoje, os deputados aprovaram o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem.

Em sessão do Congresso Nacional, os parlamentares decidiram ampliar os recursos para o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, isto é, o fundo eleitoral destinado ao financiamento de campanhas políticas.

Ainda hoje, o projeto será analisado pelo Senado Federal, como noticiou o portal RenovaMídia.

De acordo com técnicos da Câmara e parlamentares, o fundo terá um montante de R$ 5,7 bilhões em 2022, ano de eleições presidenciais, quase o triplo do registrado em 2018 e 2020, anos eleitorais em que o fundo era de R$ 2 bilhões.

- PUBLICIDADE -

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

‘Sou uma pessoa política’, diz Luiza Trajano

"Não sou candidata a nada, mas sou uma pessoa política", diz Luiza Trajano.

Saúde investirá R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

Governo federal cria programa SOS de Ponta.

Brasil cria autoridade de segurança nuclear

Governo sanciona lei que cria autoridade de segurança nuclear.

São Paulo desativa barreiras sanitárias em aeroporto e terminais de ônibus

Medida ocorre devido à estabilização do número de casos de Covid-19.
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

NotíciasRELACIONADAS
Você também pode gostar...