Criança Feliz: mais de 50 milhões de visitas domiciliares

-

- PUBLICIDADE -

O contato olho no olho e as longas conversas de orientação no sofá da sala, com mães ou responsáveis, durante as visitas domiciliares, são marcas do programa “Criança Feliz“.

No mês dedicado à Primeira Infância, o Governo Federal alcançou a marca de mais de 50 milhões de visitas nos lares brasileiros, com impacto direto na vida de mais de 1,4 milhão de famílias em todo o país.

As informações foram divulgadas pelo Ministério da Cidadania.

O ministro da Cidadania destacou a importância da iniciativa no desenvolvimento infantil. “Ao priorizar a saúde, a educação e a qualidade de vida das crianças brasileiras, estamos falando de desenvolvimento humano. Quando fortalecemos os vínculos familiares e comunitários, desde o nascimento até os seis anos de idade, estamos oferecendo oportunidades de aprendizagem e de avanços cognitivos”, disse João Roma.

A prioridade ao desenvolvimento infantil se faz presente também no Auxílio Brasil, novo programa social que estará em vigor já no mês de novembro. “Por meio dos Benefícios Primeira Infância e Composição Familiar, estendemos a mão do Estado a gestantes, nutrizes, crianças e adolescentes, ofertando trilhas de crescimento e de emancipação”, completou o ministro da Cidadania.

Estimular o desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo das crianças é um dos papéis dos visitadores. Com o tempo, os profissionais passaram a fazer parte da vida de muitas famílias, com mães ou responsáveis contando com um ombro amigo que ajuda a aliviar a pressão social, como também do suporte para a saúde mental e da conscientização da importância do vínculo familiar.

A representante do Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas (UNICEF) no Brasil, Florence Bauer, ressalta que o Criança Feliz é um programa inovador e tem impacto real na sociedade. “O Criança Feliz é reconhecido internacionalmente. É uma das iniciativas mais sofisticadas e abrangentes. Tanto que o programa foi reconhecido inclusive pelo Prêmio Wise Awards pelo seu caráter inovador e por ser o maior programa domiciliar do mundo”, analisou.

Visitas

As visitas dos técnicos também contribuem para o resgate da relação familiar, muitas vezes perdida por conta da rotina doméstica, além de ajudar as mães que só contavam, até então, com a experiência de vida para lidar com as crianças. A iniciativa impacta atualmente na realidade de 2.902 municípios, de 26 Estados, além do Distrito Federal.

 “Acreditamos que a visita domiciliar é uma estratégia importante de proteção e intervenção no desenvolvimento infantil. O Criança Feliz capacitou as equipes e formou os visitadores para que as visitas acontecessem de forma remota ou, nos lugares que fossem possíveis presencialmente, com todos os cuidados e obedecendo os protocolos de saúde durante o último ano”, ressaltou a secretária nacional de Atenção à Primeira Infância do Ministério da Cidadania Luciana Siqueira. 

Em 2020, a realidade do atendimento teve que ser adaptada ao contexto da Covid-19 para preservar a saúde das famílias e dos técnicos que realizam as visitas nas casas. As restrições não paralisaram os trabalhos que garantem a oportunidade de mudar a vida de crianças antes, mesmo de elas nascerem.

“O Governo Federal continuou na casa das famílias em um momento tão difícil que o país atravessa. Isso evitou muita violência e negligência. Procuramos capacitar as nossas equipes nos territórios durante meses, com lives, cards, com vídeos de orientações”, concluiu Luciana.
   
O Governo Federal investe R$ 120,1 milhões na primeira infância com repasse aos municípios  para romper o ciclo de pobreza e, ao mesmo tempo, garantir uma geração de crianças saudáveis, com potencial para aprendizagem e socialização. O suporte familiar visa que as crianças tenham condições de tomarem as suas escolhas de forma consciente durante a vida.

- PUBLICIDADE -

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

‘Sou uma pessoa política’, diz Luiza Trajano

"Não sou candidata a nada, mas sou uma pessoa política", diz Luiza Trajano.

Saúde investirá R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

Governo federal cria programa SOS de Ponta.

Brasil cria autoridade de segurança nuclear

Governo sanciona lei que cria autoridade de segurança nuclear.

São Paulo desativa barreiras sanitárias em aeroporto e terminais de ônibus

Medida ocorre devido à estabilização do número de casos de Covid-19.
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

NotíciasRELACIONADAS
Você também pode gostar...